quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

O Ranking "BdR" do Futebol Catarinense em 2017

Com o ano terminando, o Blog traz dois dos seus tradicionais posts: além dos micos do ano, que já foram divulgados na semana passada, e agradeço a todos pela enorme audiência, é a vez do nosso ranking.

O Blog do Rodrigo apresenta o seu ranking de clubes pelo nono ano consecutivo. O Ranking "Blog do Rodrigo do Futebol Catarinense 2017" traz, com base nos resultados de cada clube na temporada, a classificação dos melhores do Estado.

Tem uma diferença básica para o ranking da CBF, que conta apenas competições nacionais, enquanto este também conta o Estadual e eventuais participações em competições internacionais. Este exercício serve para ver o andamento dos clubes dentro do cenário doméstico, somando suas atuações a nível nacional e internacional com o torneio do primeiro semestre.

Também mostra todos os times que estão em atividade em Santa Catarina ou estiveram até 2015 em qualquer divisão. Quem não passou pelo Blog antes, o ranqueamento do ano passado está aqui e os critérios de cálculo estão no fim do post. Cálculos feitos, vamos à classificação. Algumas explicações vão junto, e em parênteses vão a pontuação e a colocação no ano anterior. Existem mudanças na classificação dos cinco grandes e a subida do Brusque para o título simbólico de "sexta força do Estado". A Chapecoense aumentou ainda mais sua frente, graças ao título estadual, boa participação na Série A e as participações em competições internacionais, de peso maior.

Vamos ao ranking!

RANKING "BLOG DO RODRIGO" DO FUTEBOL CATARINENSE 2017

1) Chapecoense: 51,10 pontos (2016: 1o. com 49,40): Não há dúvida nenhuma para apontar a Chape como primeira colocada do ranqueamento, com uma média dois pontos maior em relação ao ano passado. Campeã estadual, vaga na Libertadores no Brasileirão e ainda com pontos conquistados na Liberta, Sul-Americana e Recopa. Não só mantém a primeira colocação, como vai demorar para perdê-la, ainda mais que estará sozinha na Série A em 2018.



3) Avaí : 41,82 pontos (2016: 3o. com 39,20): Temos aqui a primeira troca de posições. O Avaí, além do vice-campeonato Estadual e a campanha na Série A, conseguiu subir dois pontos na sua média, ultrapassando os 40 pontos. Conquista a segunda colocação do ranking não só pela temporada que fez, mas com a derrocada do Figueirense que teve pontuação bem abaixo da média, insuficiente para se sustentar.

3) Criciúma: 37,01 pontos (2016: 4o. com 36,93 )O Tigre praticamente não mudou a sua pontuação, sustentado pela terceira colocação no Campeonato Estadual, mais o meio de tabela na Série B, somando mais uns pontos na Copa do Brasil. Volta a ser a terceira força do Estado não pelo que fez na temporada, já que o rendimento foi, podemos dizer, normal, nada fora da curva. Mas como o Figueira despencou, é uma posição a mais aqui na lista

4) Figueirense: 36,42 pontos (2016: 2o. com 42,80): Aqui, temos uma queda muito grande de rendimento. O Figueirense tinha 45 pontos em 2015, caiu para 42 em 2016 e agora chega a sua mais baixa pontuação na história desse ranqueamento, em quase uma década. Motivos para esse são vários: a péssima campanha no Campeonato Estadual (apenas 19 pontos em 18 jogos, último colocado do returno com apenas seis pontos), a eliminação para o obscuro Rio Branco do Acre na primeira fase da Copa do Brasil e a campanha na Série B, onde até conseguiu empatar com o Criciúma, mas se viu prejudicado pelo primeiro semestre para perder duas posições no ranqueamento. A distância para o Tigre é pequena, e há a chance de troca de posições no final do ano que vem.

5) Joinville: 32,52 pontos (2016: 5o. com 34,04): O JEC continua em quinto e, se não conseguir o acesso para a Série B, vai continuar aqui por um bom tempo. O Estadual foi apenas razoável para o tricolor, que terminou na quinta colocação. Na Série C, uma campanha bem abaixo do que era esperado acabou em eliminação na primeira fase, sem ida para o mata-mata. O que ajudou bastante para que a pontuação não caísse foi a campanha na Copa do Brasil, com uma ida inédita para a quarta fase. Mas fica por aí.

6) Brusque: 27,66 pontos 
(2016: 7o. com 24,84): O Brusque ultrapassa o Inter de Lages e se torna a chamada sexta força do Estado, após uma temporada bastante interessante. Foi quarto lugar no Estadual, chegou a uma segunda fase de Copa do Brasil, onde foi eliminado nos pênaltis. Na Série D, conseguiu a ida para a segunda fase, sendo eliminado pelo São José-RS. Em todas as competições foi superior ao rival da Serra. Ocupa posição de destaque entre os chamados pequenos


7) Atlético Tubarão: 23,52 pontos (2016: 9o. com 22,24): 
O Atlético Tubarão sobe duas posições em nossa lista impulsionado, principalmente, pelo título da Copa Santa Catarina. No Estadual, teve a mesma campanha do Inter de Lages (19 pts em 18 jogos), mas na Copinha, enquanto o Inter ficou na lanterna, o Tubarão montou um time para ser campeão.


8) Internacional de Lages: 23,02 pontos (2016: 6o. com 26,67): O colorado lageano não teve boa temporada, bem diferente do que havia sido em 2016. No Estadual, fez campanha pobre onde chegou a flertar com o rebaixamento. Na Série D, acabou eliminado pelo critério onde os piores segundos colocados não avançavam para a próxima fase. No fim, na Copa Santa Catarina, o time não mostrou grande rendimento, perdendo espaço e terminando em último. Fica a torcida para que o Leão Baio volte aos bons dias.

9) Concórdia: 22,23 pontos (2016: 11o. com 19,84): Aqui temos o primeiro time da Série B do Estadual, que entrará em 2018 no Top 10 da Lista. A campanha fantástica na segundona, onde foi passando pelos adversários jogo após jogo, colocam o time de Mauro Ovelha duas posições para cima na lista. Tem a chance de subir ainda mais, dependendo do seu rendimento na temporada e em cima dos seus rivais.

10) Metropolitano:  22,21 pontos (2016: 8o. com 23,51): Por apenas dois décimos, o Metropolitano é agora o décimo colocado da lista, com um detalhe interessante: a média anual do clube caiu pela terceira temporada seguida. Não é para menos: o time foi rebaixado no Estadual na última colocação (18 pontos em 18 jogos), fez campanha razoável na Série D, conseguindo ida à segunda fase, mas sem passar pelo São Bernardo. O clube poderia levantar sua média na Copinha, mas a diretoria, que não fez nada certo em 2017, decidiu não disputar e esperar o ano que vem, quando terá que remar em uma Série B que promete ser pegada.


11) Litoral / Almirante Barroso: 21,19 pontos (2016: 14o. com 17,47): Rebaixado para a Série B depois de apenas uma passagem na Primeira Divisão, o Barroso fica na 11a. colocação, ainda impulsionado pela campanha do acesso em 2016. Terá pela frente uma segundona bem complicada, contra vários times pressionados atrás de um acesso praticamente obrigatório.



12) Hercílio Luz: 20,44 pontos (2016: 14o. com 17,47): Dono absoluto do primeiro turno da Série B do ano passado, o Hercílio sobe duas posições na lista prestes a completar 100 anos e retornar à primeira divisão. Deixou para trás o Camboriú ,que ficou nas semis, e o Juventus de Jaraguá, que fez péssima temporada, para ocupar a posição 12 do nosso ranking.


A seguir, o restante da classificação:


13) Guarani de Palhoça: 20,36 pontos (2016: 10o. com 19,85)

14) Marcílio Dias: 19,11 pontos (2016: 18o. com 13,69)
15) Camboriú: 19,02 pontos (2016: 12o. com 19,71)
16) Barra: 17,56 pontos (2016: 16o. com 16,87)
17) Juventus / Jaraguá do Sul: 13,90 pontos (2016: 13o. com 17,73)
18) Operário de Mafra: 13,25 pontos (2016: 19o. com 12,09)
19) Fluminense / Joinville:  13,19 pontos (2016: 17o. com 14,16)
20) Imbituba: 10,11 pontos (2016: 26o. com 4,44)
21) Blumenau: 8,80 pontos (2016: 29o. com 2,57)
empatado com Curitibanos: 8,80 pontos (2016: 25o. com 5,38)
23) Jaraguá: 6,79 pontos (2016: 20o. com 9,93)
24) Atlético Itajaí: 6,16 pontos (2016: 23o. com 8,80)
25) Porto: 5,53 pontos (2016: 24o. com 6,88)
26) Atlético de Ibirama: 3,06 pontos (2016: 22o. com 9,18)
27) Juventus / Seara: 3,03 pontos (2016: 21o. com 9,67)
28) Maga: 2,92 pontos (2016: 27o. com 4,42)
29) Santa Catarina: 2,05 pontos (2016: 28o. com 4,10 pontos)
30) Caçador / Caçadorense: 0,00 ponto (2016: 31o. com 1,40)


Deixa o Ranking: Canoinhas

* Para efeitos de ranking, Litoral e Almirante Barroso (houve troca de nome fantasia) são considerados o mesmo clube. 

* O Caçador aparece na lista com pontuação zerada pois terminou a Série C de 2017 com 3 pontos negativos, decorrentes de punição no TJD.
Os critérios para definição do ranking, assim como no ano passado, são os seguintes:

Serão considerados os resultados dos clubes nas últimas TRÊS temporadas (2015, 2016 e 2017). Os pontos conquistados por cada equipe serão considerados, e não os títulos.

O cálculo para se chegar aos pontos ganhos em cada jogo é feito da seguinte forma:

Para jogos de campeonatos estaduais, pega-se os pontos ganhos no jogo (1 ou 3) x 1 x (valor do campeonato)

Campeonato Catarinense Divisão Principal (Série A)- 10
Campeonato Catarinense Divisão Especial (Série B)- 6
Campeonato Catarinense Divisão de Acesso (Série C)- 4
Copa Santa Catarina (e no caso do Estadual 2014, o Hexagonal da Morte) - 8

Para jogos de campeonatos nacionais, pega-se os pontos ganhos no jogo (1 ou 3) x 2 x (valor do campeonato)

Campeonato Brasileiro Série A - 10
Campeonato Brasileiro Série B - 7
Campeonato Brasileiro Série C - 6
Campeonato Brasileiro Série D - 4
Copa do Brasil - 8
Recopa Sul-Brasileira - 5

Para jogos de campeonatos internacionais, pega-se os pontos ganhos no jogo (1 ou 3) x 3 x (valor do campeonato)
Mundial de Clubes - 10
Taça Libertadores - 8
Copa Sul-Americana - 7
Recopa Sul-Americana - 5

(importante notar: Catarinense tem peso 1, Brasileiro 2 e Internacionais 3)

Para a pontuação geral, soma-se os pontos de todos os jogos nos últimos 36 meses (2015 + 2016 + 2017) e se divide pelo número de jogos disputados a cada ano, aplicando-se a desvalorização do ano anterior. Os pontos serão a soma das médias dos três anos.

O Ranking também usará o critério FIFA de desvalorização. Ou seja: os pontos conquistados na penúltima temporada serão multiplicados por 0,7. Traduzindo: os resultados de 2017 levam peso 1, os de 2016, vale 70%, e os de 2015 valem metade de 2016.

Obs.: 1) No caso de empate entre dois ou mais clubes, a ordem apresentada no Ranking é meramente alfabética, não sendo levados em conta os campeonatos disputados pelas agremiações.

2) Para efeito de "punição estatística" e equiparação aos clubes que disputaram mais de um torneio no ano, clubes da primeira divisão que só jogaram o Estadual, sem disputar outra competição, seja nacional ou a Copa Santa Catarina, terá computado zero ponto em uma partida na segunda competição.