sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Catarinense 2018: Hercílio Luz



HERCÍLIO LUZ FUTEBOL CLUBE
Fundação: 22 de dezembro de 1918
Cores: Vermelho e Branco
Estádio: Aníbal Costa - Particular (10.000 lugares)
Presidente: Fábio Mendonça
Técnico: Luiz Carlos Cruz
Ranking "BdR" 2017: 12o. lugar
Catarinense 2017:  Vice-campeão da Série B




Depois de figurar durante algumas temporadas na zona intermediária da Segunda Divisão, o Leão do Sul resolveu tentar algo maior para 2018, quando completa seu centenário de fundação. A reviravolta teve início na contratação do experientíssimo ex-treinador Nasareno Silva para o cargo de gerente de futebol, homem que conhece cada buraco dos estádios catarinenses, trazendo sua bagagem de acessos no Inter de Lages e no rival Atlético Tubarão. Sabedor da receita pra subir (e com habilidade para montar times com bom custo-benefício), o time montado por ele e treinado por Agnaldo Liz passou o trator no primeiro turno da segundona, conseguindo vaga nas semifinais com seis vitórias e apenas uma derrota. No returno, o time caiu de rendimento, Agnaldo foi demitido e coube a Paulo Sales levar o Hercílio ao acesso, no mata-mata contra o Camboriú. Deu certo, e a cidade de Tubarão, com pouco mais de 100 mil habitantes, viverá a divisão de torcidas com o Atlético, cujo estádio fica a algumas quadras do Aníbal Costa.

O comandante Hercilista para 2018 é o professor Luiz Carlos Cruz, lageano de 53 anos e que iniciou sua caminhada nas divisões de base de Avaí e Figueirense. Seu currículo de clubes que treinou é gigantesco, tendo comandado JEC, Chapecoense e Figueira no profissional. Sem comandar um time há algum tempo, ele vinha trabalhando como apresentador de TV em uma emissora a cabo de Chapecó. Nada que tire as suas credenciais. Cruz tem experiência, é respeitado no meio e, na parceria com Nasareno, buscou montar um time capaz de, num primeiro momento, manter o quase centenário Leão na primeira divisão do Estado.



Alguns jogadores da segundona permaneceram no time, como o goleiro Martins. Na leva de reforços, chegaram o volante Leandro Melo, do Oeste, o também volante Jackson, ex-Figueirense e Revson, dublê de zagueiro e volante com passagem pelo Avaí. Mas, sem dúvida, a maior contratação do Hercílio para 2018 veio para o ataque, um cara que tem faro de gol: Lima, de 34 anos, o maior artilheiro da história do Joinville com 140 gols, ultrapassando Nardela, o maior craque da história do clube. Após um desentendimento no tricolor, Lima passou por Paysandu, Ceará, CRB e até o Metropolitano. Sem aparecer com destaque, "Limatador" aceitou convite do América, um dos mais tradicionais clubes amadores de Joinville, para disputar o campeonato local. Fez muitos gols, e até desfilou seu futebol por outros campos da várzea no Estado. Aceitou o convite do Hercílio para responder a uma pergunta que muitos fazem: teria ele condição de jogar ainda em alto nível no profissional? No Hercílio, com o time jogando pra ele, teremos como responder à questão.

O Hercílio Luz montou um time operário, sem estrelas (exceto Lima), para tentar permanecer na primeira divisão. O ano é especial para o clube, e nada como marcar o centenário com uma boa campanha e, quem sabe, uma vaga no Brasileirão da Série D. O desafio será grande, e a rivalidade com o Tubarão pode ajudar os dois times a crescerem. Resta saber se a cidade vai dar o apoio necessário para que o clube tenha força.


quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Catarinense 2018: Concórdia

A partir de hoje, o Blog inicia a sua tradicional série de posts com perfis e análises dos clubes do Campeonato Catarinense de 2018. A cada dia, um dos dez clubes da primeira divisão serão apresentados por aqui. Aproveite!

Iniciamos a série com o campeão da segunda divisão, o Concórdia.


CONCÓRDIA ATLETICO CLUBE
Fundação: 2 de março de 2005
Cores: Vermelho, Verde e Branco
Estádio: Domingos Machado de Lima (Municipal) - 8.000 lugares
Presidente: Jonas Guzatto
Técnico: Mauro Ovelha
Ranking "BdR" 2017: 9o. lugar
Catarinense 2017 : Campeão da Série B



O Galo do Oeste teve uma arrancada sensacional dentro da Série B do ano passado para reconquistar um lugar na primeira divisão, que não ocupava desde 2011. Depois de um início irregular,  com derrota para o Barra e empate com o Operário de Mafra, a diretoria do Concórdia, comandada pelo jovem presidente Jonas Guzatto, se reuniu e tomou a decisão de "dar uma tacada mais alta". A partir dali, foi determinado que, se realmente o CAC quisesse brigar pelo acesso, precisaria investir mais alto e qualificar o elenco. A saída de Gilmar Silva foi o divisor de águas da campanha do time do Oeste.



Na noite de 7 de julho último, a diretoria do Concórdia divulgou a atitude, trazendo um ídolo do futebol da cidade. Mauro Ovelha, ex-zagueiro do finado Concórdia Esporte Clube, foi contratado para trazer o "up" necessário para levar o time à primeira divisão. Junto com reforços importantes para o time, como Marcos Paulo, Abner, Neguete e Wilson Junior, o Galo teve um returno da segundona praticamente perfeito, com sete vitórias e dois empates, levando a vantagem de decidir o acesso em casa contra o Marcílio Dias. Mauro dispensa apresentações. É um dos mais respeitados técnicos do futebol de Santa Catarina. No ano passado, encerrou um ciclo de dois anos no Brusque e assumiu a barca do Metropolitano em sequência.


O elenco do Concórdia tem remanescentes do elenco campeão da segundona do ano passado. Destaque para o atacante Marcos Paulo, artilheiro da última Série B com 13 gols. O ataque do Galo também conta com outros jogadores conhecidos no Estado. Do Brusque veio o atacante Aldair, de anos de serviços prestados no Joinville. Também está no elenco Rafael Santiago, de passagem pela Chapecoense. Na marcação, outro ex-Chape tem destaque: Diogo Roque, de anos no Londrina e passagem pelo Brusque. O último jogador anunciado foi Luizinho, atacante vice-campeão pelo Hercílio Luz na Série B passada.

O Concórdia não montou um elenco com estrelas caras, mas promete trabalhar bastante. Tenho dito há anos que os times que Mauro Ovelha monta não correm risco de rebaixamento, fazendo campanhas de razoáveis para boas. Espere um time aguerrido, com marcação forte. Esta é a cara do Galo do Oeste, que por sua vez é a cara do treinador. Pode surpreender.