terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Catarinense 2018: Atlético Tubarão




CLUBE ATLÉTICO TUBARÃO
Fundação: 14 de Abril de 2005 (como ACRE Cidade Azul)
Cores: Azul, Preto e Branco
Estádio: Domingos Silveira Gonzales (Municipal) - 3500 lugares 
Presidente: Gilmar Negro Machado
Técnico: Waguinho Dias
Ranking "BdR" 2017: 7º lugar
Catarinense 2017: 6o. Lugar


O Campeão da Copa Santa Catarina do ano passado conquistou um calendário interessante e terá boas oportunidades de crescer, ainda mais em um ambiente que terá disputa municipal com o Hercílio neste campeonato estadual. A nova administração do clube conseguiu o acesso, e na temporada passada garantiu vaga na Série D e, com o título da Copinha sobre o Brusque, vai jogar a Copa do Brasil em casa contra o América de Natal com chances muito boas de avançar de fase e ganhar mais que os R$ 500 mil oferecidos de saída pela CBF para os participantes. O clube tem um modelo de gestão diferenciado, que de certa forma independe das oscilações do mercado local para se manter. Isso dá mais tranquilidade para a gestão de Luiz Henrique Martins Ribeiro, comandante da SPE que terceiriza o clube.

No campo, o comandante da barca azul é Waguinho Dias, um treinador que se deu muito bem em Santa Catarina. Conhece do assunto. Já tinha feito um bom trabalho no Internacional de Lages em 2016. Daí o Tubarão o trouxe no ano passado, e o título da Copa SC confirma essa boa fase. Waguinho chegou até a ser sondado pelo Criciúma, sem sucesso. Adepto de um futebol de muita movimentação e extremamente disciplinado, ele é um dos bons técnicos que apareceram no Estado nos últimos anos. Terá agora a missão de tocar um time com estrutura mais ousada, com um Brasileirão pela frente e uma inédita ida à Copa do Brasil.



Por ser um clube com gestão diferenciada, a própria política de contratações do time também é diferente. Não há um medalhão como Rentería foi ano passado (e que teve sucesso, sendo artilheiro do campeonato estadual), mas um trabalho muito forte de divisões de base vai render bons frutos. Muita gente é remanescente do elenco do ano passado campeão da Copinha, como o bom zagueiro Lucas Costa e o volante Liel. Chegaram o atacante Batista, emprestado pelo Grêmio, Índio e Marlon, do Figueirense e o goleiro Junior, ex-ABC. Muita gente nova, que não passou pelo futebol do Estado e que busca "dar caldo" em Tubarão.

A meta do Peixe é audaciosa, buscando até acessos no Brasileirão. O time deste ano tem bons valores, um bom treinador e quer manter o bom rendimento conquistado na temporada passada. É uma equipe a ser olhada com muita atenção por dois aspectos: primeiro, pelo seu rendimento em si que poderá surpreender os grandes. E depois, pelos atletas que podem ser boas opções de mercado pra quem estiver precisando de jogador para o Campeonato Brasileiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário