sexta-feira, 16 de março de 2018

Qualidade, classificação e dinheiro no bolso

Ao ligar a TV para ver Avaí x Fluminense, pensei: lá vem o Flu pra pressionar feito louco e deixar o contra-ataque aberto. Isso não aconteceu. Aliás, nem parecia que o time do Abel Braga precisava vencer para avançar na Copa do Brasil. Isso tem que ser creditado à forma que o Avaí se postou em campo, mesmo com dez jogadores (Getúlio errou ao dar um bico na bola com lance parado, mas sua reclamação procedia, ele não estava em impedimento) e se classificou vencendo.

Sobrou entrega ao time avaiano. Claudinei Oliveira acertou nas alterações e foi premiado, quando Lourenço, que havia entrado poucos minutos antes, fez o gol da classificação e da tranquilidade azul. E olha que a vitória poderia ser maior.

Enquanto isso, o presidente devia estar sorrindo de orelha a orelha. A classificação lhe garantiu, até agora, mais de R$ 4 milhões acumulados com a chegada na quarta fase da Copa do Brasil, o que, somando aos R$ 6 milhões da cota de TV mais patrocínios e outras rendas, em uma ótima condição de caixa para o Brasileirão. (e muuuito mais dinheiro que a paupérrima cota do campeonato catarinense). Dinheiro que ajuda e muito na qualificação do elenco para tentar o acesso.

Entendo que o Leão não tem mais o que almejar no Campeonato Estadual e não precisa mais se preocupar com ele, onde poderá fazer testes. A meta é chegar nas oitavas da Copa do Brasil, o que renderá mais uma grana boa. O sorteio é na segunda, e no pote há tanto times complicados quanto totalmente possíveis de avançar.




Nenhum comentário:

Postar um comentário