sábado, 19 de maio de 2018

O nível a se alcançar

Figueirense x Fortaleza - Foto: Beko Amorim / FFC


O Fortaleza é um time muito bem armado por Rogério Ceni. O melhor da Série B, com uma ótima arrancada importante para quem quer chegar ao acesso. Se o time vai aguentar o ritmo, é outra história. Mas não deu chance ao Figueirense, consolidando a sua liderança.

O Figueira chega a sua terceira derrota seguida cheio de problemas, sob a pressão de uma torcida indignada e com problemas financeiros, somando-se aí a lesão de Betinho e um momento nada favorável no mercado, com janela do exterior fechada e nenhum bom atleta desempregado. Pra trazer alguém vai ter que pagar, e o time tá mal das contas. Aí já viu.

Milton Cruz precisa dar um jeito, e com urgência, para fazer seu time ser mais compacto e, principalmente, ter um repertório maior de jogadas. O jeito de jogar já é conhecido dos outros e aí o time não rende. Jorge Henrique, bem marcado, pouco trabalhou. Aí a válvula de escape vai pras alas, também sem qualidade. Sem Betinho, Cruz perde um jogador que tinha essa função de "unir" o time. Complicou muito, em se falando de planos de acesso.

O Fortaleza, assim como Vila Nova, CSA e até o Avaí, que teve em Geninho o desenvolvimento de um esquema que mostra, acima de tudo, uma boa fluidez de jogo, dão uma ideia do patamar a chegar para brigar pelo G4. Convenhamos que o Figueirense tem um bom caminho para trilhar. Não há muito tempo até enfrentar o CSA, outro time certinho, que traz uma base da Série C.

Nenhum comentário:

Postar um comentário