segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

A Chape ficou. Muitas lições estão aí para serem assimiladas

Liamara Polli / Jovempan.com.br


A festa foi grande, com a Arena Condá batendo recorde de público. A festa foi parecida com a de um título. Apesar de não gostar desse tipo de comemoração, afinal, o time não foi bem no Brasileiro e se salvou do rebaixamento por pouca distância, a permanência da Chapecoense na Série A significa uma saúde financeira e um aporte altamente necessário para que o time possa tocar suas atividade e lidar com os problemas decorrentes da tragédia na Colômbia.

Apesar de muita gente secar, o futebol de Santa Catarina precisa de dois times na Série A. Uma consequência direta poderia ser a perda de uma vaga na Copa do Brasil para o Estado.

Até o mais clubista sabe que deu tudo errado nesse ano em Chapecó: time era favorito disparado para levar o Estadual, caiu para o Figueirense dentro de casa. Depois começou a venda de jogadores, sem reposição a altura. Teve troca de técnico, de diretor.... Bom, um reflexo dessa insatisfação é a existência de uma chapa de oposição nas eleições do clube. Até ontem, não era hora pra se caçar bruxas, até porque havia uma decisão e todas as energias estavam concentradas nela.

Dá pra fazer uma boa limpeza no elenco e renovar consideravelmente para o ano que vem. Questiono até se o treinador deve ser mantido (deverá ser, parte do acordo). Claudinei Oliveira conseguiu seu intento, mas na maioria dos jogos sob seu comando, o time não tinha vontade, era burocrático, quase sonolento. Aliás, o próprio jogo contra o São Paulo foi assim. Sorte que uma bola cruzada caiu certinho na cabeça de Leandro Pereira.

Calendário garantido, verba garantida, é hora de apagar 2018 da memória. Sim, porque quem ganhou o returno do Brasileirão do ano anterior sabe que teve muitos buracos na estrada que acabaram estragando uma expectativa enorme.

Erros estão aí para serem assimilados e consertados. A temporada expôs muitas rachaduras na estrutura. Hora de preparar a massa pra consertar onde dá e derrubar o que ficou seriamente avariado para construir uma parede bem mais forte.